João Grandino Rodas

building image



"Em toda a minha vida năo tem havido monotonia nem compasso de espera. Face ao tempo relativamente pequeno da vida útil do ser humano e a imensidade que se tem para realizar, a única saída é acelerar em crescendo!"

Sumário das principais realizações da gestão reitoral 2010/2014

Publicado por joao | Categoria Reitoria USP

GRADUAÇÃO

Em relação à infraestrutura para os cursos de graduação, dois programas foram criados pela Reitoria. O primeiro deles diz respeito à recuperação de salas de aulas utilizadas, principalmente, pelos cursos noturnos. Com recursos iniciais no valor de R$ 23 milhões, o Programa de Recuperação de Espaços Didáticos (Proed), cujo edital foi lançado em março de 2011, recebeu propostas das 42 Unidades de Ensino e Pesquisa. Dessas, 40 já foram aprovadas pela Comissão de Acompanhamento da Pró-Reitoria de Graduação e as verbas solicitadas já foram liberadas às respectivas Unidades para as obras.

Além das salas de aula, os laboratórios também fazem parte do rol de investimentos, com o Programa de Apoio à Criação de Laboratórios para Ensino Prático de Graduação, com um aporte de R$ 5 milhões. Foram 56 projetos inscritos, oriundos de 37 Unidades de Ensino e Pesquisa, dos quais dez estão sendo selecionados a partir de uma comissão ad hoc.

 

PESQUISA

Foi criado o Programa de Incentivo à Pesquisa da Reitoria, coordenado pela Pró-Reitoria de Pesquisa. No total, estão sendo investidos R$ 146 milhões, provenientes do orçamento da própria Universidade. Trata-se do maior investimento já feito por uma instituição brasileira de ensino superior em um projeto desse gênero.

O principal objetivo é selecionar projetos inovadores que promovam maior interação entre áreas do conhecimento e que permitam a reorganização da produção científica da Universidade, buscando aumentar o impacto das atividades de pesquisa no cenário internacional e fortalecer a relação com a sociedade.
 

CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

O investimento de R$ 19 milhões marca o mais importante programa institucional voltado à preservação do patrimônio e à difusão cultural e científica já desenvolvido na Universidade.

O programa é composto por três linhas de financiamento, nas quais serão investidos R$ 13 milhões – preservação de acervos e patrimônio cultural, que receberá R$ 7 milhões; preservação e difusão da memória, contemplado com R$ 1 milhão; e intercâmbio de atividades de cultura e extensão, ao qual foram destinados R$ 5 milhões. Além disso, recursos serão destinados à instalação da Tenda Cultural Ortega Y Gasset e ao Prêmio Ortega Y Gasset em Ciências Humanas.
 

 INTERCÂMBIO INTERNACIONAL

 Foi criado o Programa de Bolsas de Intercâmbio Internacional para os Alunos de Graduação, que oferece mais de 1.000 bolsas de estudos no exterior. O projeto é inédito entre as universidades brasileiras e as bolsas serão distribuídas em duas modalidades: Bolsa Mérito Acadêmico e Bolsa de Empreendedorismo.

Os investimentos são da ordem de R$ 21 milhões e a USP é pioneira em conceder o benefício, utilizando seu próprio orçamento. Além disso, diferentemente das bolsas concedidas pelo Governo Federal, as da USP contemplarão alunos de todos os ramos do saber.

 

USP NAS OLIMPÍADAS

 Criação do Programa de Incentivo e Suporte Técnico Esportivo – A Universidade de São Paulo nos Jogos Olímpicos e Jogos Paraolímpicos 2016, cujo objetivo é desenvolver ações integradas para pesquisa; para avaliações de equipes e atletas nacionais; para educação continuada de atletas e treinadores; para suporte e treinamento de equipes olímpicas e paraolímpicas brasileiras e estrangeiras; e para o apoio a atletas olímpicos, principalmente os integrantes da comunidade USP (alunos, funcionários e professores).

Foram selecionados oito atletas nas seguintes modalidades: remo, hóquei, taekwondo, natação e vela, além de 12 estagiários, alunos de graduação, de pós-graduação (mestrado e doutorado), oriundos da Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Escola de Educação Física e Esporte, Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Odontologia e Faculdade de Saúde Pública.
 

 INFRAESTRUTURA

- Aquisição de duas embarcações oceanográficas. Em conjunto com a Fapesp, a USP adquiriu duas novas embarcações para estudos oceanográficos: o Alpha Crucis e o Alpha Delphini. O Instituto Oceanográfico (IO) é responsável pela gestão do uso e pela manutenção das embarcações, que possibilitarão aumentar a capacidade de pesquisas oceanográficas. O Alpha Crucis foi adquirido da Universidade do Havaí, em 2010 e, após reforma, chegou ao Brasil no dia 13 de maio de 2012, ao custo final de US$ 11 milhões, entre recursos da Fapesp e da USP. A partir de setembro de 2012, o IO contará também com o barco Alpha Delphini, o primeiro do gênero construído no Brasil, com27 metros de comprimento, pode transportar até 12 pesquisadores e seis tripulantes, e autonomia de10 a 15 dias. O custo total do barco – R$ 4,75 milhões – será compartilhado entre a Fapesp e a USP.

- Novo sistema de transporte circular. Implantação de duas novas linhas de ônibus, administradas pela São Paulo Transportes (SPTrans) que fazem a ligação entre a Cidade Universitária e a Estação Butantã do Metrô e podem ser utilizadas gratuitamente por alunos, professores e funcionários da Universidade com o Bilhete USP.

- Novo sistema de iluminação dos campi. A partir de 2013, os campi da USP contarão com novo sistema de iluminação. O projeto, que teve início no final de 2011, apresenta inovações tecnológicas e conceituais como o uso da luz branca, que proporciona melhor qualidade na percepção noturna das pessoas; prevê a utilização de luminárias de vapor metálico de grande eficiência e o uso de diodos emissores de luz, mais conhecidos como leds, que possuem excelente qualidade de luz, melhor distribuição e alta durabilidade. O novo sistema será implantado gradativamente nos campi, tendo início nas áreas mais críticas. A previsão é de que, até abril de 2013, todos os campi já disponham de nova iluminação.

- Revitalização da Cidade Universitária “Armando de Salles Oliveira”. Além de novas construções e melhorias nas Unidades de Ensino e Pesquisa localizadas neste campus, estão programadas importantes obras com vistas à renovação e ampliação da infraestrutura. São elas: o Centro de Difusão Internacional da Universidade; a ampliação do Auditório Camargo Guarnieri, que passará a abrigar a Orquestra Sinfônica, o Coral e o Cinema da USP; a Praça dos Museus, com a construção de novos prédios para o Museu de Arqueologia e Etnologia e para o Museu de Zoologia; a construção do Centro de Convenções; a recuperação do prédio da Antiga Reitoria e a conclusão do prédio da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin. Também foi adquirido da Fapesp terreno localizado na Rua da Consolação, com a devida autorização do Curador de Fundações para venda entre autarquias estaduais, para instalação da Editora da Universidade e a Procuradoria Geral da USP.

- Transferência do MAC para prédio no Ibirapuera. A inauguração da nova sede do Museu de Arte Contemporânea (MAC), no Palácio da Agricultura, projetado por Oscar Niemeyer, no Ibirapuera, ocorreu no dia 28 de janeiro de 2012, com a abertura da exposição “O Tridimensional no acervo do MAC – Uma Antologia”. No 1º andar, haverá um auditório, ateliês de arte, bibliotecas e sala de leitura, enquanto a área expositiva do museu ocupará do 2º ao 7º andar. No 8º e último andar, será instalado um restaurante, com vista panorâmica. No anexo, haverá área expositiva, com pé direito duplo, de 1.500m e área para reserva técnica de 3.432 m². A área administrativa será instalada em novo anexo, que também servirá para reserva técnica e laboratórios de restauro. A implantação do Museu será paulatina, atendendo às demandas técnicas do processo e à adaptação da equipe ao novo espaço, culminando com as comemorações dos 50 anos do MAC em abril de 2013.

- Investimentos em tecnologia da informação. São R$ 200 milhões em recursos, nas seguintes ações: ampliação da infraestrutura de cabeamento estruturado de todos os campi; implantação do ambiente CloudUSP, para suporte a vários tipos de aplicações, com capacidade computacional capaz de se destacar no ranking Top500, proporcionando o uso racional, eficiente e sustentável dos recursos em atividades administrativas, de pesquisa, ensino e extensão; construção de um novo Data Center, em uma área contígua à Universidade, no campus de São Paulo, em terreno com cerca de 40 mil metros quadrados, adquirido da Fapesp; ampliação do sistema da rede sem fio dos campi; e implantação do Programa USP Digital, que consiste na melhoria dos sistemas administrativos adotando workflows nos seus processos para eficiência administrativa e diminuição do consumo de papel.
 

 NOVO CAMPUS DA USP EM SANTOS

As atividades da USP em Santos tiveram início no primeiro semestre de 2012, com as aulas do curso de graduação de Engenharia de Petróleo, oferecido pela Escola Politécnica (EP), com turma de dez alunos. No vestibular da Fuvest, o curso apresentou recorde de número de inscritos desde a sua criação, em 2002, com 43,8 candidatos por vaga.

A transferência do curso de Engenharia de Petróleo para Santos foi o primeiro passo para a implantação do futuro campus. Desde o início das atividades, os alunos já estão tendo aulas no prédio Cesário Bastos, localizado na Vila Mathias, parcialmente adaptado para receber o curso, mas que ainda abriga a Diretoria de Ensino de Santos. Até o final de 2012, o prédio deverá ser totalmente entregue à USP e as reformas poderão ser intensificadas para atender às necessidades imediatas e futuras da Universidade, com a instalação de novos cursos e atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Além do aumento do número de vagas para o curso de Engenharia de Petróleo, que passará a oferecer 50 vagas em 2013, uma comissão foi formada para verificar quais as Unidades da USP têm interesse em transferir seus cursos para o novo campus.

No que tange às instalações físicas, há o compromisso da Prefeitura de Santos em fazer a doação dos galpões próximos ao Prédio Cesário Bastos para a Universidade. O tema, entretanto, deve passar pela aprovação junto à Câmara Municipal.

Outra importante ação da Universidade, em Santos, foi a assinatura do convênio com a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), que possibilitará a instalação de uma Base de Pesquisas do Instituto Oceanográfico (IO) no Porto Valongo. No dia 14 de maio de 2012, representantes da Codesp e da USP assinaram o acordo estabelecendo a cessão do Armazém 8 à Universidade por um período de 25 anos, com possibilidade de renovação pelo mesmo prazo. A nova base deverá ser instalada em cerca de três meses após a aprovação, pela Codesp, de um projeto arquitetônico de readequação do espaço, apresentado pela USP.
 

 POLÍTICA DE PERMANÊNCIA E FORMAÇÃO ESTUDANTIL

Foi ampliado de 2.500 para 3.900 o número de bolsas oferecidas para os alunos que se dedicam a atividades extracurriculares nas áreas de pesquisa, cultura e extensão. Além disso, o valor de cada bolsa foi aumentado para R$ 400 — anteriormente esse valor variava entre R$ 300 e R$ 360, dependendo do tipo de bolsa. Outra novidade é que os bolsistas de iniciação científica do CNPq receberão um valor suplementar da USP, para equiparar o valor que recebem com aquele dos bolsistas da própria Universidade.

Em2012, aUniversidade aumentou em mais de 30% os recursos destinados à Política de Permanência e Formação Estudantil, passando de R$ 93 milhões, em 2011, para R$ 122,5 milhões.

Também como parte integrante da Política de Permanência e Formação Estudantil da Universidade, foi instituído o Programa de Auxílio ao Estudante, com o objetivo de dar suporte mensal aos alunos de graduação com comprovada carência socioeconômica. Fazem parte desse programa o auxílio-livros, auxílio-transporte, auxílio-transporte emergencial, auxílio-alimentação, auxílio-moradia e auxílio-moradia emergencial.

Com esse programa, consolidam-se as iniciativas da Universidade no que se refere aos auxílios oferecidos aos estudantes e ampliam-se, consideravelmente seus valores. O auxílio-moradia, por exemplo, passou de R$ 300 para R$ 350; o auxílio-livros, de R$ 120 para R$ 150; e o auxílio-transporte, de R$ 150 para R$ 200.
 

RECURSOS HUMANOS

- Plano de carreira dos servidores técnico-administrativos. Os funcionários possuem moderno plano de carreira aprovado em 2011 e já em vigor, percebendo salário acima da média de seus congêneres na iniciativa privada.

- Implantação da progressão horizontal na carreira docente. A progressão no nível da carreira docente resultará em acréscimo salarial, com variação nos percentuais, de acordo com o nível: o salário do Professor Doutor 2 terá acréscimo de 9% em relação ao salário do Professor Doutor 1; o de Professor Associado 2 terá acréscimo de 6% em relação ao salário do Professor Associado 1; e o de Professor Associado 3 terá acréscimo de 12% em relação ao salário do Professor Associado 1.

- Benefícios estendidos a todos os servidores docentes e técnico-administrativos ativos. Auxílio-alimentação, no valor recém-reajustado de R$ 590 mensais; auxílio-creche (R$ 487,75, por dependente até seis anos); auxílio educação especial (R$ 487,75 mensais, para dependentes com necessidades especiais) e vale-refeição (no valor unitário de R$ 24, recém-reajustado).

- Criação do Sistema Assistencial de Saúde. O sistema é destinado aos servidores docentes e técnico-administrativos ativos e aposentados. A adesão será facultativa aos servidores. Aqueles que preferirem ser atendidos apenas no Hospital Universitário e demais serviços de atendimento próprios da Universidade, como ocorre atualmente, poderão optar por não ingressar no sistema. A Resolução nº 5.964, que trata do tema, foi publicada no Diário Oficial do Estado, em 10 de agosto de 2011.
 

REURBANIZAÇÃO DAS COMUNIDADES

Em 14 de junho de2011, aReitoria, por meio da Portaria nº 680, designou uma Comissão com a principal missão de desenvolver um projeto de reurbanização das áreas ocupadas irregularmente pelas comunidades São Remo e Carmine Lourenço, localizadas na parte oeste da Cidade Universitária “Armando de Salles Oliveira”, e pela comunidade denominada Morro da USP, no bairro do Sacomã, em São Paulo.

Entre 2011 e 2012 a Comissão promoveu várias reuniões com as Secretarias Estadual e Municipal de Habitação para sensibilizá-las quanto à importância social do projeto. Também foram realizados encontros com as lideranças comunitárias locais. Este não é apenas um mero projeto de reurbanização, mas sim um projeto que possibilitará infraestrutura habitacional, de saúde, escolar, esportiva, sociocultural e que servirá de base para um desenvolvimento pleno dos moradores, além da resolução da situação jurídica dos terrenos onde estão instaladas as comunidades.

Na comunidade São Remo, também será construído um Centro Educacional e de Lazer, atualmente em fase de finalização do projeto executivo. O prédio, de aproximadamente 3 mil metros quadrados, terá um Bloco Didático, com salas de aula e laboratórios; um Bloco Cultural, com teatro, auditório e biblioteca; e um Bloco de Esporte e Lazer, com quadras poliesportivas, campo de futebol e piscina. O espaço definido para a construção do Centro é um terreno contíguo à comunidade, portanto, que não é ocupado por nenhuma família. A USP será responsável pela construção do Centro e, após a conclusão da obra, o espaço será cedido por convênio à rede de ensino do Estado.
 

NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA REITORIA

 A estrutura organizacional da Reitoria foi modernizada com a criação de duas Vice-Reitorias Executivas — de Administração e de Relações Internacionais.

As Coordenadorias ganharam status de Superintendências — Assistência Social, Comunicação Social, Espaço Físico, Saúde e Tecnologia da Informação — e quatro novas Superintendências foram criadas — Gestão Ambiental, Jurídica, Relações Institucionais e Segurança.
 

 GESTÃO AMBIENTAL

No dia 5 de junho de 2012, por meio de portaria reitoral, a USP declarou mais de mil hectares de seus campi como reservas ecológicas. São mais de dez milhões de metros quadrados em um total de 23 áreas localizadas em São Paulo (dois hectares), Pirassununga (oitocentos hectares), São Carlos (trinta e cinco hectares), Lorena (seis hectares), Ribeirão Preto (noventa e oito hectares) e Piracicaba (vinte e dois hectares), além dos cento e cinquenta e três hectares já existentes. Essas áreas ficam declaradas em caráter de preservação permanente e destinadas apenas à conservação, restauração, pesquisas, extensão e ao ensino.
 

RANKINGS

Em maio de 2011, foi nomeado o Grupo Permanente de Integração de Dados do Sistema Acadêmico da USP, que tem como finalidade integrar informações demográficas, de desempenho e de financiamento nas áreas de atividades-fim da Universidade disponíveis nos diferentes sistemas e bases de dados, podendo ser utilizados em ações de planejamento, gestão e comunicação externa, incluindo, neste último item, as informações fornecidas às instituições responsáveis pela coleta de dados e elaboração dos rankings internacionais das melhores universidades do mundo.

Desse grupo fazem parte representantes das Pró-Reitorias, do Departamento de Finanças da Vice-Reitoria Executiva de Administração, da Vice-Reitoria Executiva de Relações Internacionais, do Sistema Integrado de Bibliotecas, o coordenador-editor do Anuário Estatístico e um professor especialista em Estatística.

Nas mais recentes classificações mundiais, a USP tem obtido posições de destaque entre as melhores instituições do mundo. A maioria das classificações internacionais tem como foco predominante critérios e indicadores relacionados à pesquisa desenvolvida pelas universidades e se utilizam de bases de dados como as da Thomson Reuters e da Scopus. Entretanto, outros rankings avaliam também o ensino, a reputação acadêmica e a internacionalização, entre outros fatores.�
 

  • POSIÇÕES ALCANÇADAS PELA USP NOS RANKINGS

Ranking

Posição em 2010

Posição em 2011

Posição em 2012

Webometrics

122

43

20

2012 World Reputation Ranking (The Times Higher Education)

a USP não foi classificada

61-70

QS University Rankings – Top UniversitiesLatin America

Times of Higher Education

232

178

ainda não divulgado

QSWorldUniversityRankings – Top Universities

253

169

ainda não divulgado

Academic Ranking of World Universities (ARWU)

101 a150

101 a150

ainda não divulgado

Performance Ranking of Scientific Papers for World Universities

74

78

ainda não divulgado

SCImago SIR 2011

19

13

ainda não divulgado

 

Print Friendly
junho 7th, 2012

Leave a Comment